14/07/2008

CRIME

Mais uma banda californiana dos anos 70. Mais uma banda nada convencional. Apesar de soar e ter todos os elementos que os caracterizavam como punk ou underground, o Crime desde o início rejeitou qualquer classificação. Declaravam-se uma banda de rock'n'roll e mais nada além disso. Esta postura acabou por afastá-los dos primeiros punks que procuravam organizar um "movimento" na Costa Oeste dos EUA, ainda que em 1978 tenham tocado em redutos dos punks, ao lado de bandas como Avengers, Dils e Negative Trend. Arrogantes - só aceitavam dividir o palco desde que fossem a banda principal -, acabaram odiados pela maioria das outras bandas de San Francisco e Los Angeles. Sem dúvida, uma atitude punk demais para os próprios punks.
O núcleo da banda era formado pelo vocalista e guitarrista Frankie Fix e o guitarrista Johnny Strike. A primeira formação tinha o baixista Ron Ripper e o baterista Ricky Tractor. As baquetas tiveram ainda, na seqüência, Brittley Black e Hank Rank.
O som do Crime é rock'n'roll básico, pesado e primitivo (e o que é o punk rock?). Algumas "canções" são autênticos rockabillies, com temas ofensivos, sadomasoquistas e sobre criminosos, claro. Costumavam apresentar-se com uniformes da polícia de San Francisco e um dos pontos altos da curta carreira (1976-1980) foi um show na penitenciária de San Quentin, em setembro de 1978, registrado em um raro vídeo independente da Targetvideo.
Oficialmente, lançaram três compactos de 7". O primeiro saiu em 1976 com as músicas Hot wire my heart e You're so repulsive, com uma gravação totalmente amadora e cheia de falhas. O segundo single já saiu com uma qualidade melhor, com Frustration e Murder By Guitar. Clássico. O terceiro e último, com Gangster Funk e Maserati já mostra uma banda diferente, ainda agressiva, mas claramente buscando outros caminhos. Em 1982, Strike deixou o Crime, que já encontrava muitas dificuldades para agendar shows. Foi o fim. Strike passou a dedicar-se à literatura e teve um livro (Ports of Hell) publicado em 2004 (Headpress). Frankie Fix tentou reunir a banda no início dos anos 90, sem sucesso, devido à recusa de Strike. Em 1996, Fix morreu, muito provavelmente devido ao abuso de drogas que o deixara extremamente fraco. Não há Crime perfeito.

Baixe aqui Piss on your turnatable, um dos muitos piratas que pipocaram após o fim da banda, reunindo os três singles e várias músicas de um ensaio em estúdio (23 músicas):




Um comentário:

  1. Arlindo Cirino1/01/2010

    Muito bom o som da banda!
    Sonzeira mesmo!
    Só agora é que vim baixar, mas já tava curioso há algum tempo - principalmente pelo fato deles rejeitarem rótulo de Punks.

    ResponderExcluir