14/03/2009

Lama, a fúria finlandesa


Lama em finlandês quer dizer depressão e é também o nome da melhor banda punk originária daquele país. Apesar de ser considerado um grupo da segunda (e mais produtiva) geração de bandas punks finlandesas, o Lama começou em 1977, em Puotila, na área suburbana de Helsinque. É certo que no início não tinham mais que umas poucas músicas e só foram se apresentar pela primeira vez em 78. Os fundadores foram Epe e Eno, ambos guitarristas (depois, Epe assumiu os vocais e abandonou o instrumento). Essa formação embrionária tinha ainda um vocalista chamado Spiidy e o batera Hippo. Mas foi com a entrada de Charlie, um guitarrista que sabia tocar um pouco mais que Epe e Eno (que passou para o baixo) que o grupo começou a tomar forma, consolidada após a substituição de Hippo por Jere, bem mais consistente em termos musicais.
Em 79, o punk rock explodiu na Finlândia e o Lama foi um dos expoentes dessa cena. Provavelmente a mais famosa banda (punk, óbvio) no país naquela época. O primeiro disco saiu apenas em 1980. O excelente Totuus Löytyy Kaurapuurosta (A verdade está na farinha de aveia), com três faixas: além da que dá que título à bolacha, Buusi (Ônibus) e Raha (Dinheiro). Um clássico, com certeza.
Hoje, milhares de bandas no mundo todo fazem o que eles fizeram, mas na época era assustadora a maneira rápida e agressiva como tocavam. Não se falava ainda em hardcore. A influência do Lama sobre outros grupos finlandeses deu uma cara única ao punk daquele país, que acabou sendo um dos berços do hardcore. Mas não consigo ver o Lama como HC, o som é mesmo algo como um elo entre o "punk 77" e o HC.
O segundo compacto saiu em 81, com as faixas Nimetön (Sem Nome), Ainoo Lajissaan (algo próximo de "Uma daquelas") e Jeesukset (Jesus no plural, ou "Jesuses"). No mesmo ano, gravaram o terceiro single, com quatro faixas - Väliaikainen (Temporário), Paskaa (Merda), Anarko Marko (?) e Penisten Vapautusrintama (Frente de Liberação do Pênis, uma brincadeira com o women lib) - que seria o ultimo com Jere na bateria. Este é o mais consistente dos singles do Lama e o primeiro que chegou ao Brasil, através da Punk Rock Discos. São quatro faixas que ouvi milhares de vezes e ainda considero atuais. Além disso tem uma capa fantástica: um desenho que remete a Alice no País das Maravilhas, só que com detalhes pornográficos, como cogumelos em forma de pênis.
A essa altura o punk fervia na Finlândia e o Lama acumulava uma boa milhagem de palco. Charlie, o guitarrista conta em uma entrevista no livro Parasta Lapsille - Suomi Punk 1977-84 (Melhor para as crianças - punk finlandês 77-84), que a banda era movida a álcool, nos ensaios e nos palcos. "Nós tínhamos uma tradição quando ensaiávamos em Lepakko (um centro cultural que funcionou em Helsinque de 79 a 99). Ensaios bêbados. O sorbus (espécie de vinho finlandês extraído de fruta homônima, caracterizado por ser bem forte) era a bebida da moda na época e cada um do grupo tomava pelo menos uma garrafa nos ensaios. Ninguém podia tocar em seus instrumento antes de virar meia garrafa. Só depois disso podíamos tocar. Desde que também íamos bêbads para os shows, é certo que aprendemos a tocar bêbados."
Em 1982 sai o esperado LP, chamado simplesmente Lama. E o grupo não decepcionou. O disco é um petardo, com 15 faixas demolidoras. Como fan declarado, sou suspeito, mas algumas músicas desse disco estão entre as melhores de todos os tempos, como Tänääm Kotona (No lar hoje), que abre o disco, Koputus (Batendo), Kellot (Sinos) e Turpa kiini ja nussi (Cale-se e foda). O disco marcou também a primeira mudança na formação, com Jusa no lugar de Jere. Após o lançamento, Eno também deixou a banda e foi substituído por Rane, baixista do último vinil lançado pelo Lama, o compacto simples Ajatuksen Loppu/Mun Pelko (Pensamento final/Meu medo). Então Jusa foi para o exército e como a banda vivia uma "crise de identidade", quando descobriram que poderiam tocar e falar qualquer coisa no palco que o público simplesmente aceitaria. "As pessoas estavam bêbadas pra caralho e queriam bater a cabeça no chão. Nós achamos que eles poderiam fazer isso por conta própria, sem nossa ajuda", revela Charlie em outra parte do livro já citado. Ó último show do Lama foi em 4 de dezembro de 1982, no Lepakko. Depois disso, o fim.

Baixe aqui os quatro singles do Lama
Baixe aqui o LP


LAMA FACTS

  • Apesar de ter acabado, o Lama fez uma apresentação em 1994 e outras quatro em 2005, com Charlie, Epe, Jusa e Eno. Todas em solo finlandês.
  • Após o fim da banda, Jusa, Eno e Raine tocaram no Unicef (em momentos diferentes), banda que gravou apenas um compacto e é considerada uma lenda pelos punks finlandeses. Raine tocou ainda no Smack, um grupo de glam rock. Epe foi para o Musta Paraati, banda pos-punk. Charlie tornou-se motorista de taxi.
  • Todos os membros do Lama eram muito amigos do Widows, uma das bandas pioneiras no punk finlandês. Os grupos ensaiavam e, claro, tomavam vários porres juntos. O guitarrista do Widows, Markku Manner, aka, Kellogs Bollocks, produziu o primeiro single do Lama.
  • Um pouco antes de lançar o LP, em 1981, o Lama tornou-se a segunda banda de rock finlandesa a tocar em solo inglês (a primeira teria sido o Wigwam, um grupo de rock dos anos 60/70), com três apresentações: no lendário 100 Club (Londres), em Grimsby e em Leeds, no memorável festival Christmas on Earth, ao lado de bandas como Damned, UK Subs, Chron Gen, Exploited, Black Flag, Anti-Nowhere League, Outcasts, Discharge e outras.
  • Hippo, o primeiro batera do Lama, formou o Neurovisio, que durou apenas dois anos (79-81) e só apareceu em um disco em 1995, mais exatamente na coletânea Apocalypse. Mas ele não toca em nenhuma das quatro faixas do grupo.

14 comentários:

  1. Muito foda lembrar desta banda!!!!!!!! Aqui no Rio as fitas do primeiro LP eram bem escutadas e disputadas!!!!!!!!! Nunca enjoávamos de agitar com seu som!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. O Lama e o Widows são minhas bandas
    filandesas preferidas. Os caras são muito bons. Melhores até que muitas bandas do estilo, que pertencem ao eixo Uk - Usa.
    Valeu pelo post (e facts)!

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Só quem escutou Lama no talo sabe a potência que esse som tem. Pogar ao som deles é transe mesmo...
    Z, se o Lama fosse uma banda americana ou inglesa certamente seria colocado no mesmo patamar de grupos como Black Flag, GBH, DK e outros.
    Valeu os comentários galera.
    Saudações anárquicas

    ResponderExcluir
  4. George3/16/2009

    Muito legal você incluir o Lama aqui no blog, Strongos. É a minha banda finlandesa favorita. Concordo com você, eles estão no mesmo patamar do Black Flag, com certeza.
    Felizmente consegui há 3 anos atrás o LP e mais 3 7"EPs deles, tudo em vinil. Só me falta agora o EP da capa preta/rosa.
    Uma curiosidade: muitos selos lá foram já tentaram acordos de reprensagem do material deles, mas por conta da Johanna (selo major finlandês) cobrar altos valores, ninguém até agora conseguiu disponibilizar um reissue.

    ResponderExcluir
  5. Aí George, acrescentou mais uma curiosidade. Sempre vi os punks finlandeses criticarem a Joahanna, agora fica um pouco mais claro. Os caras querem ganhar muito né? E será que pagam bem também para as bandas? Vai saber....
    Abcs...

    ResponderExcluir
  6. Outra curiosidade é que um dos caras do Lama (acho que o baixista) ficou de rolê aqui no Brasil nos anos 80. Pelo que ouvi dizer ele andou muito com o Redson e ficou um bom tempo por aqui, era sempre visto em vários shows e tal...

    ResponderExcluir
  7. Sim George, é verdade. Inclusive um dos motivos que levaram os caras do Lama a substituirem ele no "EP preto e rosa" é que ele vivia viajando pelo mundo.... Agora que vc lembrou me veio tudo à mente, cheguei a vê-lo mas não conversei com ele porque na época meu inglês era (ainda é, mas melhorou muito) péssimo!
    Valeu aí!

    ResponderExcluir
  8. È do caralho saber que tem muita gente ligada no melhor som que já existiu bandas como: Lama, Teervet Kadet, Riistetity e outras. Caras fico puto com paga paus de EUA e England porra vai se fude só bandas Americana do caralho e Englesas. Caras bandas Filandesas são boas e o melhor "antigas" Pô o vocalista do Tervert Kadet deve ter uns 50 anos e até hoje esta em enfase. Falo ! Falo ! Falo ! para todos.

    ResponderExcluir
  9. Ronaldo, sim, O Lama e muito bom, assim como mais uma porrada de bandas finlandesas. Só não acho que eles são bons por serem finlandeses. São bns porque são o Lama!
    Uma das coisas que aprendi com o Punk, e pela qual agradeço muito, é justamente superar as diferenças de fronteira, raça, gênero, credo, etc.
    Mas que o som finlandês é muito foda é mesmo!
    Valeu a opinião e fique à vontade para comentar sempre,

    Saudações Anárquicas!

    ResponderExcluir
  10. Ronaldo, sim, O Lama e muito bom, assim como mais uma porrada de bandas finlandesas. Só não acho que eles são bons por serem finlandeses. São bns porque são o Lama!
    Uma das coisas que aprendi com o Punk, e pela qual agradeço muito, é justamente superar as diferenças de fronteira, raça, gênero, credo, etc.
    Mas que o som finlandês é muito foda é mesmo!
    Valeu a opinião e fique à vontade para comentar sempre,

    Saudações Anárquicas!

    ResponderExcluir
  11. Lama!! Curto muito!!
    Dá uma passada no blog http://suomipunk.blogspot.com
    Só punk finlandês!!!
    Abraços,
    Bruno

    ResponderExcluir
  12. Lama é sensacional, com certeza uma das minhas favoritas de todos os tempos. Só uma correção no seu post, o Musta Paraati não tocava HC, o som deles era um Post-Punk/Synthpop e o lp "Peilitalossa" ganhou muita notoriedade na Finlândia e é sempre citado em listas de melhores discos lançados por lá.
    Recomendo !!!

    ResponderExcluir
  13. Colin, obrigado pelo comentário. Realmente, vc tem razão, o Musta não tem naada de HC. Valeu a correção, amigo.

    ResponderExcluir
  14. parabéns pelo blog
    muito legal mesmo!
    LAMA é sensacional

    um abraço
    Chanel - Jundiaí/sp

    ResponderExcluir