25/10/2008

A volta dos mortos vivos

Já há alguns anos, principalmente depois que o Green Day e outras bandas pseudo punks assolaram as paradas de sucesso, vários grupos resolveram "voltar". Desde mais famosos como Sex Pistols e Buzzcocks até menos conhecidos como No Alternative, Avengers, etc. São muitas para mencionar aqui e a discussão não é sobre quais bandas "renasceram".
Antes de continuar quero esclarecer que o próprio Factor Zero pode ser acusado de aproveitar-se do novo status do punk para, digamos, ficar famoso (não ficou e dificilmente ficará). Mas existe diferenças: não voltou para ganhar dinheiro. Na verdade, apenas resgatei um nome que eu mesmo criei e que acho apropriado para o tipo de blog que me propuz a fazer nas horas vagas. O nome original deste blog seria "Sounds of the Suburbs", mas já existe algo parecido no ar...
Voltando ao assunto. Como deixei a entender no comentário do post sobre Paul Fox, não sou muito a favor destes retornos ou "reuniões". Somos livres para fazermos o que bem entendermos. Sou fanático pelo som das bandas punks dos anos 70 e 80, mas tenho comigo que aquele foi um momento único, assim como é o momento atual (que, na verdade, nem sei o que rola em termos de som novo).
Claro que há retornos e retornos. Algumas bandas voltaram e gravaram coisas novas, originais (Buzzcocks e Radio Birdman, por exemplo) que, se é bom ou ruim, não vem ao caso. Algumas voltaram com todos os membros originais, embra apenas tocando as mesmas músicas, como os Sex Pistols. Outras com um ou dois membros da formação antiga. Dou um desconto apenas para aqueles que "retomaram" a carreira e gravam algo novo. Para os demais, acho até uma certa falta de respeito para com eles mesmos. Mas minha crítica não é por isso e sim porque visam apenas o lucro. Com isso, esvaziam um discurso que construiu toda essa coisa chamada punk, que bem ou mal revolucionou a música e até os costumes.
Que sentido tem você cantar uma música contra a opressão de um sistema desigual se faz isso para alimentar esse mesmo sistema?
Opinem, por favor.

10 comentários:

  1. The Hairy Hands10/25/2008

    Strongos,

    concordo e discordo, se me permite.

    Também acho uma merda essas bandas que voltam apenas para ficar fazendo show (faturar$$$$$) em cima de músicas antigas, geralmente em países subdesenvolvidos ou em cidades pequenas dos países desenvolvidos. E ficam gravando um disco ao vivo atrás do outro (e um pior que o outro). Nem vale a pena citar nomes porque são tantas que nem caberia no comentário.
    Há porém uma ressalva: o tal "movimento" punk foi na realidade um "não-movimento". Muitas bandas, até mesmo entre aquelas relativamente famosas, fizeram tão poucos shows que é difícil encontrar alguma testemunha viva para contar a história. No caso brasileiro é ainda pior pois quantas das bandas top britânicas ainda estavam em atividade (e pior ainda, no auge), quando a onda punk começou a se disseminar por aqui? Praticamente nenhuma. Então, a volta dessas bandas acaba sendo uma chance de ver, mesmo que em situaçao muitas vezes lamentável, algumas daquelas figuras que só conhecíamos nas contracapas dos discos.
    Uma segunda ressalva é quanto àquelas bandas que produzem coisas novas e que praticamente nunca chegaram a acabar (no máximo "deram um tempo" prolongado). Nesse grupo poderíamos enquadrar o Buzzcocks e o Stiff Little Fingers (ambas voltaram antes do estouro do Green Day), que, aliás, produziu em 2003 um dos melhores discos de rock da década, Guitar and Drum (DISCAÇO!!!!).

    Acho que aqui vale o mesmo princípio citado anteriormente por mim: quem tem talento inato, sempre terá talento, mesmo que ele fique adormecido por um certo tempo. É o caso de um Lou Reed, um David Bowie, um Iggy Pop, um Pete Shelley ou um Joe Strummer.

    ResponderExcluir
  2. The Hairy Hands10/25/2008

    Strongos,

    a propósito do Green Day, já ouviu o Rivals? É o Green Day dos anos 70. Punk pop de primeiríssima.

    ResponderExcluir
  3. Não conheço. Mas já vou atrás...

    ResponderExcluir
  4. Acho que existem reuniões e "reuniões". Por exemplo, o Zeros e o Plugz se reuniram recentemente pra fazer 1 show, depois de 30 anos que as bandas acabaram. Isso eu acho legal, é até um regaste histórico em forma de homenagem ao que eles representaram. Ninguém vai ficar rico fazendo 1 show dentro de uma loja de discos ou de uma livraria...hehe... é claro que o momento que eles viveram nunca vai se repetir novamente... mas existe uma diferença enorme entre isso e uma tour mundial do Sex Pistols, aí sim gira muita grana, os caras fazem o pé de meia mesmo...hehe

    ResponderExcluir
  5. George, concordo que há casos e casos. Reunir para fazer um ou outro show, tudo bem. Na verdade, acho que estou sendo um tanto ranzinza... mas outro dia fiquei sabendo que até o New York Dolls tocou por aqui. Porra, os caras devem tá pior que o Rolling Stones, alvo de muitas críticas (não por parte deles) nos anos 70 e 80....
    Valeu a opinião. A discussão ainda tá aberta e fria....
    Strongos

    ResponderExcluir
  6. Apesar de não ser bem lá um especialista no esitlo de som que você destrincha por aqui, posso falar de um modo geral: sou contra "retornos mágicos" de qualquer banda com mais de 20, 30 anos.

    Não importa se é Led Zeppelin, Pink Floyd ou Stooges. As intenções podem ser as melhores -oque nunca é, na maioria dos casos- mas eu só consigo ver isso como pessoas copiando a si mesmos.

    É inevitável, o tempo apaga o punch, o contexto e as motivações.

    Sou muito mais ouvir uma banda contemporânea que emule sons passados do que a banda-fonte, mumificada, se esforçando pra soar relevante numa época que não é mais dela.

    ResponderExcluir
  7. É por aí Rafa. Pode até ter uma boa intenção e ser legalzinho e tal, mas eu acho que esses retornos correm até orisco de apagar a "magia" original... O Stooges, citado por você, e um exemplo. No palco até rola um som, mas quando entraram no estúdio, fizeram um disco sem "alma", datado. Mas, algumas vezes - poucas, é verdade - os caras ainda têm algo a dizer. Com dito atrás há casos e casos. Mas estou mais para sua opinião....
    Falô aê meu camarada

    ResponderExcluir
  8. na boa,adorei o show dos stooges.mas achei palhaçada trazer um mc5(q deveria se chamar na verdade de mc3)e principalmente o dead kennedys.ao contrario dos stooges,esse caras nao lançaram nada novo nem vao lançar.os stooges ja fizeram discos antologicos,(nao conseguir fazer mais algo a altura)o que fizerem daqui por diante,pra mim ta bom.

    ResponderExcluir
  9. Fugazi, não dá para negar o passado glorioso de nenhuma das bandas que reformaram e voltaram trocentos anos depois de terem acabado. Muito menos o Stooges, a primeira banda punk da história. O que questiono é a validade de alguns retornos meramente por interesse financeiro ou de bandas que já não têm mais o que dizer. Outras ainda com um ou dois membros originais, quase vovôs, fazendo tournês apenas para aproveitar a onde revivalista.
    O Stooges pelo menos gravou um CD de inéditas,concordo, mas como prova de que jã não tem mais sentido, o disco é ruim sim, está há anos-luz da genialidade que a banda tinha nos três primeiros LPs.
    Mas é isso aí, quero ler as opiniões, principalmente as discordantes, O espaço [e para debater idéias e não só baixar som.
    Valeu e continue visitando o FZ.
    Saudações anárquicas

    ResponderExcluir