08/07/2008

CURTO CIRCUITO


Electric Circus foi um night club que funcionou em Manchester entre os anos de 1976 e 1977. Lá tocaram muita bandas punks e "new wave" (termo que, no Brasil, é bem distorcido). Com a explosão do punk no Reino Unido, a casa teria ficado pequena para tanta gente e acabou fechando (não sei se isso é verdade, mas é o que os ex-proprietários alegaram). No último final de semana de funcionamento aconteceram vários shows que foram gravados e posteriormente escolhidas as melhores gravações para uma coletânea. Sabe-se lá por que, foi lançado apenas um EP de 10" com oito faixas apenas. Imagino as raridades que deve ter nas fitas!
O The Fall abre o disco com a ótima Steppin' out. A banda está na ativa até hoje e é relativamente bem conhecida no circuito alternativo. No início (até 79 mais ou menos) o som deles era bem mais básico e pode ser classificado como punk. Last orders, a segunda deles neste disco é muito boa. Nos anos 80, o Fall (leia Mark E. Smith, o dono da "marca") lançou uma renca de discos, cada um com uma formação e um som diferente - passeou até pela música eletrônica - mas fez algumas boas obras, como Hex Education Hour, LP de 1982 (um clássico).
Na seqüência, o poeta do punk, John Cooper Clark declama Daily Express, uma crítica ácida à mídia impressa, e arranca aplausos entusiasmados da platéia. A outra faixa com ele é a hilariante I married a monster of outer space (pelo título dá para imaginar...). JCC teve uma faixa na coletânea Streets, chamadas Innocents, que teria sido a inspiração para o nome do Inocentes quando deixou de ser Condutores de Cadáver).
A seguir entra o Warsaw, ex-Warsaw Pact e futuro Joy Division/New Order (dispensa apresentações). Mas é interessante ouvir a banda de Ian Curtis em sua fase primitiva. Para fechar o lado A, o The Drones, sem dúvida, um dos melhores grupos da primeira leva do Punk, manda Persecution Complex. Sonzaço, mas a gravação é a pior do disco.
O lado b abre com o reggae do Steel Pulse, que faz óbvios elogios à maconha. A banda ainda não era tão comercial como ficaria nos anos 80. Um registro legal que atesta a cumplicidade entre punks e "reggeiros", para mim, algo bem mais frutífero que o flerte com o metal nos anos 80.
Quem fecha a "bolacha" é o Buzzcocks, uma das melhores bandas de todos os tempos, com Times Up, um grande clássico. Vale pela raridade, pela curiosidade e, principalmente, pelo som.
Para baixar esta raridade, clique abaixo:

4 comentários:

  1. falae, strongos... eu estive pensando esses dias, depois de ler o post seu a respeito do anarcool�tras. eu edito um fanzine impresso chamado Grito Suburbano. a previs�o do lan�amento do primeiro n�mero, � no s�bado ou no domingo, e explicando o t�tulo sugestivo, eu comentei em um artigo a respeito do anarco�latras e do m19, que ficaram de fora do lp... queria saber se voc� aceita eu fazer uma "entrevista" com voc� pra publicar nele, � coisa pequena, 7 perguntinhas s�.
    o fanzine � um prot�tipo ainda, mas se concordar, me passa um email que eu possa enviar as perguntas pra voc�.
    valeu.

    ResponderExcluir
  2. ôpa Marcus. Vamos fazer sim! Pode mandar as perguntas pra esse e-mail: davidcintra@hotmail.com

    Falou!

    ResponderExcluir
  3. sempre tive atras dessa coletanea.sempre fui fa de joy/warsaw e nunca nem pude a oportunidade de pega-la na mao.vlw o post,cara.espero que continue c/ essa mesmo disposiçao.abço e parabens!!

    ResponderExcluir
  4. Valeu o comentário e continue visitando o FZ. Vou passar uma fita do Warsaw Pakt para MP3 e breve postarei aqui...

    ResponderExcluir